O Blues continua se expandindo para a Europa, ganhando novos ares e dando origem a outros gêneros através de nomes consagrados da música britânica.

Estados Unidos e Europa – Anos 60

A popularização do Blues e o seu reconhecimento na Inglaterra a partir dos anos 50 deu origem a uma revolução no universo musical do ocidente. O “Blues Elétrico” de Muddy Waters se consagrou na Inglaterra e foi um marco que viria a influenciar outros gêneros como o Rock ‘n Roll, sendo um berço para bandas como: Yardbirds, Rolling Stones, Fleetwood Mac, Jeff Beck, Cream e Led Zeppelin. Outros nomes do cenário americano do “Folk-Blues” americano como: Son House, Robert Johnson, Howlin’ Wolf e Taj Mahal também se tornaram referências importantes para o estilo.

Brasil – Anos 90

Big Gilson

O guitarrista, compositor e cantor é considerado “um orgulho do Blues nacional no Brasil” de acordo com Bernardo Araújo do Jornal O GLOBO, e o Bluesman brasileiro de maior destaque no exterior onde atua desde 1995. Gilson foi influenciado por nomes como: Johnny Winter, Eric Clapton, Buddy Guy, Elmore James e Robert Johnson, entre outros.

Foi o fundador de uma das primeiras bandas de Blues brasileiras, a Big Allanbik, tendo lançado seu primeiro álbum de Blues nacional em 1997, o “Yellow Mojo Blues”, que foi produzido de forma totalmente acústica. Gilson foi elogiado por B.B. King, John Nova Lomax, entre outros, e já fez turnês pela Europa e Estados Unidos.

Ao romper fronteiras e chegar à Europa, o Blues passa por um momento de mudanças, outros estilos surgem e grandes nomes regravam os sucessos do Blues, porém com uma nova roupagem o que acaba ameaçando o estilo de cair no esquecimento no universo musical.

Já no Brasil, o Blues continua sendo reverenciado por guitarristas consagrados, que percorrem EUA e Europa para que a chama continue acesa, pois O show Tem que Continuar, ou melhor o Blues!